Publicado por: Renan | julho 19, 2012

campanha_brasil_europa

campanha_brasil_europa

Publicado por: Renan | março 27, 2010

Último dia em Sydney…

Tudo que é bom, realmente, dura pouco. Durante quase dois meses, escrevi, neste blog, um pouco do meu dia-a-dia na Australia; mais especificamente Sydney e alguns dias em Melbourne.

No primeiro blog havia dito que tive o sonho de conhecer a Australia desde meus treze anos e, que, finalmente, havia conquistado.

Vim para estudar. Mas, me diverti, adquiri experiências, vi novas paisagens, conheci pessoas, estilos de vida, enfim… mas, agora, chegou ao fim. Bem, ‘chegou ao fim’ é algo muito forte, tal um até logo. Com certeza, da próxima vez, quero explorar muito mais da Austrália e, também, da Nova Zelândia, claro.

Bom, não é post de agradecimentos e nem de despedidas. Este eu deixarei para segunda-feira. Agradecendo a tudo e a todos, co maior detalhe. Afinal, este post é sobre meu último dia.

O que posso dizer é que realmente senti. No dia de minha graduação na escola já comecei a sentir que, a partir daquele momento, a contagem regressiva para a volta já tinha iniciado. Daí, piorou quando fui ao aeroporto junto com minha amiga de classe Claire no dia em que segui para Melbourne – ela seguiria para Brisbane. Aos poucos, a galera seguia outros caminhos: Juliana retornou ao Brasil, Kevin voltará ao Vietnã no começo de abril, outros contiuarão por outros módulos e por aí vai…

Último almoço com a galera

Juliana... pensando que poderia voar...

Saudades da galera:

Após o retorno de Melbourne, aproveitei a sexta-feira para ir ao Paddy´s Market e uma última volta pela Darling Harbour. Para a minha surpresa, encontrei com Kevin. Figura mais que inocente, como verdadeiro amigo me desejou uma vida muito próspera, sentirá saudades dos brasileiros que fizeram com que ele pudesse dar muito mais risadas do que o seu habitual. Me deu, como lembrança, uma nota de seu país local, para recordar dos momentos. Desejo toda a sorte a ele! Grande figura…

Kevin e Juliana

Retornando a Croydon, onde estava hospedado, tenho uma surpresa muito legal. Toda a família Manca (praticamente) estava lá comendo pizza e celebrando o aniversário de Scott e Cath. Perfeita ocasião para me animar. Conversaram bastante comigo, assinaram minha bandeira, me desejaram todo o bem do mundo, disseram que jamais se esqueceram dos meus dias por lá e se foram. Na partida, confesso que fiquei cabisbaixo. Já estava acostumado com o jeito de todos.

Já no sábado, me programei: arrumar as malas e passar a noite nos três lugares que mais me agradava em Sydney: The Rocks, Darling Harbour e Circular Quay.

Antes, de manhã. Resolvi dar um presente e Nonna por tudo que ela me fez.

Veja o vídeo abaixo. Repare na cara de surpresa dela. Eu estava esperando que ela falasse um pouco de italiano, mas, a coitada ficou sem palavras.

A noite, tentando ver os lugares pela última vez, não pude curtir The Rocks e Darling Harbour. Circular Quay, com a Opera House, Harbour Bridge e Opera Bar me deram um presente de despedida para emocionar qualquer um. Principalmente eu, que achava que aquela seria só mais uma noite, mas não. Foi uma noite para jamais esquecer. Não tem explicação (veja o vídeo).

Para finalizar a última noite, nada melhor do que poder ouvir a bela voz feminina do CityRail pela última vez. Com certeza, uma das coisas que mais sentirei falta por aqui. Inclusive, até comento com a Juliana, minha ex-colega de classe, sobre ela.

Cheguei em casa. Tomo banho. Como bolacha Scott Finger ela última vez também (preciso achar esta bolacha no Brasil) e, praticamente, bebo 1 litro de suco sozinho. A gula foi somente para me despedir. Arrumei minha mala e me deitei, agradecendo a tudo, Deus e a todos pelos ótimos momentos.

De manhã. É hora de ir. Ajeito tudo, lamento junto com Nonna minha ida. Ela, sempre muito simpática comigo, disse que fiz um bem a ela e que todos da família me adoram. Pediu para que eu escrevesse uma carta e que voltasse algum dia. Tudo isso em um inglês, misturado com italiano, que só ela sabe =).

De Croydon até o aeroporto, fui de trem. Saio do vagão vendo um sorriso de uma senhorinha para mim. Devolvo-a tal simpatia. Faço meu checkin, sigo ao saguão de embarque e acompanho cada pessoa que se despede dos seus amados com choros. É a minha vez, veja a minha cara por ir embora.

É... pois é, hora de partir!

Austrália, naquele momento, ficou para trás, deixando ótimas lembranças para mim, muita reflexão, esperança e novos sonhos.

A volta ao Brasil, país que aprendi a amar mais enquanto estive fora, estava próxima. Que bom, vou rever aqueles que eu mais amo neste mundo!!! =P

Mas, antes, uma paradinha em Auckland, como escala.

No próximo post, AGRADECIMENTOS e um vídeo de despedida!!! Não percam!!!

See ya!!! =P

Publicado por: Renan | março 26, 2010

Sydney Opera House

 

Enfim. Chegou a vez dela. E, deixará por último deve ter sido uma das melhores coisas neste blog.

A Sydney Opera House, assim como a Harbour Bridge, não dá para contar muito sobre ela. É sentar em algum banco, curtir o visual e dá um sorriso. Você pode curtir a arquitetura, se perguntando o quão inspirado estava o arquiteto para criar algo que lembrasse tanto as velas de um barco como esta obra, que serve para concertos, peças teatrais e restaurante.

É simplesmente fantástico. De fato, é um ícone para Sydney… talvez, para a Austrália.

Tente me segurar para não vê-la logo no primeiro dia, visando procurar ver mais da cidade além dela. Mas, é impossível. Quando você vê em alguma parte da cidade um pedacinho dela e da Harbour Bridge, você acaba indo até ela. É um chamado. É o canto de uma sereia para um pescador.

Falando um pouco de história, a Sydney Opera House começou a ser construída em 1959, projetada por Jorn Utzon. O arquiteto, porém, abandonou o projeto em 1966 e a Opera House só foi finalizada em 1973. Há mais de cinco teatros, 4 restaurantes, auditórios, estúdios de ensaio…

Poder observá-la pela baía é incrível. Quando algum navio de cruzeiro parte do terminal no Circular Quay, seguindo seu destino, é impossível não reparar quantos disparos de flash saem das câmeras fotográficas dos tripulantes do navio. Sua magia é incrível.

Poder curtir um happy hour tem ela como vista é algo incrível. Não é a toa que todos que freqüentam o Opera Bar contam com alto-astral por toda a noite.

Pudera eu poder ter um barquinho a vela só para poder passar por ela em um dia de Sol.

Antes, curta um pouco um passeio muito agradável.

Passeio escolar pra lá de agradável. Isto foi no meu primeiro dia.

É um dos pontos mais visitados por turistas em todo o mundo.

Detalhe em seu acabamento e nos contrastes das linhas de sua arquitetura.

Cada ângulo, uma nova foto com algo mais especial para registrar...

Realçando com o passado...

Opera House: um ícone australiano

A noite... de cima da estação Circular Quay

Vista debaixo da Harbour Bridge...

Por dentro, restaurantes, teatros, auditórios...

Pôr-do-Sol... pra variar, eles sempre aparecem nas fotos...

Curtindo o visual pela Opera Bar

Com Sydney CBD ao fundo...

Do Royal Botanical Gardens, curtido um maravilhoso fim de tarde...

Com o céu azul, perfeito para uma foto...

Enjoy the view...

Opera House. Bela e inesquecível momento na minha vida.

 

 

No próximo post, hora de dar adeus a Aussie!!! Não foi fácil.

See ya!!!

Publicado por: Renan | março 25, 2010

Harbour Bridge

Harbour Bridge é mais um daqueles lugares que não dá para ficar explicando muito, tentando colocar palavras para citá-la, buscar descrever sentimentos quando a vê, assim como a Estátua da Liberdade, Cristo Redentor, Coliseu e a Opera House (próximo post), o desafio maior é tentar conseguir saber qual o melhor ângulo para se fotografar e se perguntar se é possível de se enjoar dela.

É simplesmente imponente. A sensação de poder vê-la e até mesmo passar abaixo dela em um ferry, por ela em um carro ou trem, ou até mesma subir ao topo (programa nada barato) é algo que te deixa maravilhado. Poder ver no topo a bandeira da Austrália e de New South Wales, balançando ao vento, dá maior ênfase a sua força.

Foi nesta região que, sem dúvida, passei, pelo menos, maioria dos meus dias aqui na Australia. Era normal eu poder dar ‘bom dia, Bridge’.

Um pouco de história para complementar este post: a ponte foi criada em 1932. Levou cerca de 8 anos para ser finalizada. Com suas aproximadas 4000o toneladas de puro aço, a Harbour Bridge liga o centro de Sydney a North Sydney. Ela é famosa por ser palco dos fogos de artifícios nas viradas de ano em Sydney, embelzando toda a Sydney Harbour.

Bom, são centenas de fotos tiradas e um desafio enorme de saber qual a melhor. Não consegui. Provavelmente, ela não esteja nem aqui, possa estar em meu arquivo escondido. Mas, coloquei algumas para poder constar esta beleza.

De brinde, vocês podem curtir as fotos ouvindo música de ótima qualidade vinda do Opera Bar. Que visual hein. Aperte o play e join it!!! =)

… e as fotos…

Saber o melhor visual da Harbour Bridge é difícil. Você pode escolher da North Sydney, The Rocks (acima)...

... ou curtir ela deitado em um jardim...

Vista do Opera Bar

Ao fundo da estação Circular Quay

Sim, ela tem seu lado romântico...

... poderia ser cenário para sua foto de casamento...

Você pode curtir um visual através de um ferry...

... ou curtir o contraste com algum navio de cruzeiro.

Um passeio abaixo dela cai muito bem!

Ao fiundo, North Sydney e Luna Park. Esta é a Harbour Bridge, bela e imponente!

 Próximo post: Sydney Opera House

See ya!!!

Publicado por: Renan | março 24, 2010

Symbio Wildlife Park – coalas, cangurus, wombats…

Se lembram que, há poucas semanas atrás, me perdi em Helensburgh e acabei fazendo amizade com uma galerinha. Então, naquele dia estava a procura do Symbio Wildlife Park. 

Bem, novamente, utilizei o Google Maps para chegar até lá, desta vez, não poderia dar nada errado. De alguma maneira, teria que chegar lá. 

Assim que cheguei à estação Helensburgh, fui confirmar novamente em meu mapa para saber a real localização. Fiz isto por cerca de cinco vezes. Na primeira tentativa, subindo a primeira rua em frente, já me perdi. Volto para a estação para reiniciar tudo novamente. Caminhando, vendo meu rosto de perdido, uma mulher me ofereceu uma carona em seu pequeno caminhãozinho – tenho certeza de que ela achou que eu iria para Symbio. Dito e feito, quando disse que iria ao parque, ela subiu suas sobrancelhas, com olhar de espanto e, com simpatia, disse que me levaria lá, pois demoraria muito pra chegar. 

Me surpreendi quando vi que Helensburgh não era somente aquela vilazinha em que estavam as crianças. O local contava com belíssimas casas e um ótimo centro comercial. A simpática mulher ainda me explicou que o condado corre o risco de ser exposta às queimadas da floresta, assim como ocorreu em 2001, onde toda a população teve que evacuar, correndo o risco de, talvez, perder seus lares e bens, mas, salvando suas vidas. 

Bem, de fato, realmente, ela salvou meu passeio. Só eu sei o quanto andei de volta para a estação. Foram quase uma hora andando diante uma rodovia, depois, parte residecial de Helensburgh, parte comercial de Helensburgh, parte que eu não sei de Helensburgh, floresta de Helensburgh e, então, estação de Helensburgh. 

Sim, levarei este nome para sempre em minha vida. Minha filha se chamará Helen em homenagem à Helensburgh. 

Symbio Wildlife Park 

A fauna australiana, assim como a brasileira, é muito rica e conta com algumas exclusividades. 

Wildlife Park é o local mais fácil de ter contato com estes típicos animais australianos. Em parques assim, você pode encontrar coalas, cangurus, wombats (parecido com um pequeno urso de patas pequenas), diabo da Tasmânia, emu, dingo, entre outros. 

O Symbio é um dos melhores parques de New South Wales, que ainda conta com Featherdale entre os mais visitados. 

O local é muito agradável, elaborado para poder receber os mais diversos animais e a equipe que trabalha no local é mito solidária, pode te ajudar sempre com sorriso no rosto e muita paciência. 

FInalmente! Cheguei em Symbio!

Locais como este são perfeitos para toda a família. É possível até mesmo fazer um pique-nique na mesma área de descanso dos cangurus. Agora, se eles vão querer deixar você comer em paz, isto é uma outra história. 

Em Symbio, tive um dia de muita sorte: cheguei cedo, ensolarado, pude alimentar alguns animais (muitos, como o diabo da Tasmania, não é permitido, muito menos o casuário que é a ave mais perigosa do mundo e, que, me encarava de uma forma muito faminta), curtir o parque sem a presença de muitas pessoas, ser o último a sair. Mas, o mais especial foi poder curtir cada minuto observado o coala, alimentando os cangurus, ver o wombat andar de um lado para o outro, enfim, poder ter um dia conferindo todas as belezas do mundo animal. 

De fato, nada mlehor do que poder ter um contato com a natureza, poder compreender cada ser vivo e poder refrescar a nossa consciência, poder perceber que animal, não é só animal, é um ser de Deus, que tem seus costumes e cuidados. Seja na Austrália, Brasil, África… respeite!!! 

 

Em Symbio, você pode alimentar alguns animais.

Nova Zelândia deve estar sentindo falta desta.

Algumas belas aves... inocentes...

Outras belas, mas, nem tão inocentes assim. Sério, se vir uma dessas na sua frente, corra, e muito.

Tipicamente australiano: este é o emu.

Este é o Dingo. Cachorro selvagem da Austrália.

Primatas de toda parte do mundo.

Com um olhar suspeito e belo, este é o Panda Vermelho.

"Eu me remexo muito... eu me remexo muito..."

Porco-espinho típicamente australiano. Veja:

Por estar espantado, Diabo da Tâsmania pouco apareceu. Conseguem ver? Embora seja um dos animais mais amados de Aussie, ele corre risco de extinção.

Hey! Wombat!

Adoro este animal.
 

Sem dúvida, poder estar ao lado de um coala é um momento raro e especial. O animal consegue transmitir paz e felicidade. Veja a alegria dele na foto.

Você sabia que os coalas dormem cerca de 21 horas por dia? As outras 3 horas, serve para alimentar-se das folhas de eucalipto, principal causadora deste profundo sono. =)

Um momento raro, pra sempre guardado na mente e no coração:
(fiz um vídeo em homenagem para minha mãe com os coalas e, com os cangurus ao meu pai, mas, por vacilo meu, os do canguru foram gravados no meu celular, justamente o que não consigo transferir ao computador. ‘Desculpe pai, mas, te amo’ hehe)
 

É difícil de encontrar, mas conseguuir. Fotografar uma mãe-canguru caregando sua cria. Demais.

Eles gostam de comer, mas, qualquer barulho, vira alerta, como na foto onde eles observam homens do parque fazendo manutenção em um dos jardins.

Você pode alimentar os cangurus, mas, de repente, eles podem querer a mamadeira de seu filho, também. Hehe.

Estar sentado numa mesa ou simplesmente andar em volta de mais de 20 cangurus em total harmonia, é uma das experiências que guardarei por toda a minha vida.

São muitas fotos, mas, acho que para o blog está de bom tamanho (as melhores guardarei para mim), certo? Vamos deixar os bichanos em paz um pouco, eles não querem aparecer tanto. Haha…
Vejam mais em:
Symbio Wildlife Park: http://www.symbiozoo.com.au/
Featherdale Wildlife Park: http://www.featherdale.com.au/index.htm
See ya!!!
Publicado por: Renan | março 23, 2010

Coogee, Manly, Bondi…

Sim, depois de maravilhosos dias, estou de volta a Sydney.

Hoje o post é um breve resumo das três principais praias de Sydney: Coogee Beach, Manly Beach e Bondi Beach…

Bem, claro que existem mais praias em Sydney, algumas até podem ser melhores, com algum atrativo a mais e além, mas, acredito que, para quem vem para cá, seja obrigatório a sua passagem por elas, pois cada uma delas tem algo diferente a fazer.

MANLY BEACH

Começar, talvez, pela minha favorita. Manly Beach.

Minha favorita porque reúne todas as coisas que gosto de presenciar em um local: bela paisagem, gente bonita, famílias se divertindo, segurança, esportes…

Assim é Manly Beach. Para se chegar até lá, é necessário ir de Ferry. Gasta-se mais por volta de 20 a 30 minutos que valem muito a pena, principalmente pela paisagem – começa pelo Circular Quay, Opera House e Harbour Bridge, Fort Denison, Woolloomooloo Bay, depois você encontra muitas velas até chegar ao destino, um belo pequeno porto de Manly, com uma igreja após a plataforma e um corredor repleto de comércios e restaurantes até chegar a praia.

Manly é caracterizada pelo seu aspecto familiar: é comum ver casais com seus filhos pequenos passeando por lá. Além disso, você pode praticar muitos esportes, especialmente vôlei de praia e surfe, claro.

Também é um dos pontos de Sydney que mais se concentra pessoas bonitas e com alto-astral.

É só sentar na areia, relaxar, curti o visual e o vento bater em seu rosto.

No caminho de Circular Quay a Manly, você curte um visual muito legal com diversas velas próximas a Manly. Com a maré forte neste local, a prática do iatismo por aqui se torna ideal.

Manly Wharf

As crianças se divertem e os pais tem paz neste local

Manly é perfeita para sentar, curtir o Sol, surfar...

... e, claro, relaxar...

BONDI BEACH

Esta é a praia mais famosa da Austrália. Não que seja a melhor, mas, é muito popular.

Tudo pode acontecer em Bondi. Muitas festas, muito agito, muito surfe, muitas compras, ótima música e é fácil de se chegar. Você pode ir através de trem até a estação Bondi Junction ou de ônibus pelo centro da cidade. Bondi Junction que, aliás, é um ótimo bairro.

Esta foi a primeira praia que visitei na Austrália. No dia, ventava muito e praticamente era difícil de andar pela areia fofa da praia.

Aliás, aí está uma vantagem de Bondi: se estiver ventando muito e a areia não deixar você, garota, tomar aquele sol de uma forma tranqüila, tudo bem, você pode ir à área verde logo no começo da praia. Aliás, a maioria faz isso. E, para nós, homens, podemos ir lá bater um futebolzinho na parte da grama ou curtir o mar, seja nadando ou surfando. E lhe digo, se o vento for muito forte, após sair do mar, se prepare para o frio que vai sentir.

Bondi ainda conta com muitos bares, boates e uma pista de skate que vive lotada, de curiosos e skatistas.

Bondi é maravilhosa, principalmente por ser uma praia curta – acho que não deve ter mais de dois quilômetros de extensão de areia.

Grande amiga Narumi aprontou comigo...

Praia, surfe, música, skate...

COOGEE BEACH

Coogee Beach, na minha opinião, é um dos lugares mais simpáticos de Sydney. É uma praia curta, muito bonita, fácil de chegar também e se destaca pelo popular churrasco que se pode fazer por lá, na área verde acima da praia. Não, não é somente qualquer churrasco. Você tem churrasqueiras elétricas na área verde, com direito a mesas e uma área verde para se fazer o que bem quiser – eu, no caso, matei a saudade de um futebolzinho.

O clima é sensacional, jamais será incomodado, sues amigos se divertem. Confesso que fazer churrasco para o pessoal de fora, como asiáticos e outros, te deixa com o ego lá em cima. Afinal, brasileiro tem fama de um ótimo chrrasqueiro.

Já estava esquecendo a praia. SENSACIONAL. Já pode imaginar o clima: churrasco, depois, sol na areia e um último mergulho no mar para completar o ciclo.

Galera celebrando um churrasco nem tão brasileiro assim...

Olha a Narumi de novo... jogou futebol comigo em Coogee...

Coogee Beach

Publicado por: Renan | março 22, 2010

That’s Melbourne!

Puxa. Descrever Melbourne em apenas um post é praticamente uma missão impossível. Seria até injusto fazer isto, mas, não tenho escolha, terá que ser assim: de forma que possa deixar a todos vocês com vontade de visitá-la e poder curtir cada canto da cidade.  

Melbourne é a segunda maior cidade da Austrália. Capital do estado de Victoria, contem características diferentes de Sydney. Uma delas é o fato de não conter tantos turistas como a cidade de New South Wales (não que não tenha turistas, pois tem).  

Única, Melbourne deixa a sensação de estar andando numa cidade grande, porém, comparando com São Paulo, sem ouvir passos acelerados, buzinas de carro e outros sinais de estresse.  

Assim como mostrei em um post anterior com um vídeo comercial citando que “você se perderia em Melbourne”, você anda pelo pequeno centro da cidade e, a cada passo, descobre um beco, bem escondido, onde possa haver muitos restaurantes ou, de repente, um corredor de lojas. Isto faz você querer andar, andar, andar…  

Andar, aliás, que é bem fácil. Além de trem, você conta com os ‘trams’: uma espécie de bondinho, só que bem veloz para tal. Inclusive, tem até um disponível gratuitamente que te leva, de forma circular, pelo centro da cidade.  

Melbourne que realmente se parece muito com Europa, repleto de edifícios e outras construções históricas e, nas calçadas, árvores com suas folhas secas, representando bem o outono que está chegando.  

Mas não são só de construções histórocas que Melbourne vive. Há modernidade dentro de seus arranha-céus, como o Eureka, Federation Square e muito mais.  

Você encontra uma avenida só com restaurantes italianos ou fazer compras nas inúmeras galerias com as mais variadas marcas – para quem conhece São Paulo se sentir em casa.  

Você pode fazer programas bem românticos como um passeio em vários parques da cidade – Royal Botanical Gardens, Melbourne Park, Olympic Park, Albert Park. Ou então, jantar a beira do Yarra River com direito a chamas nos totens que ficam à beirada do rio, em SouthBank.  

Quer praticar esportes? Melbourne é conhecida como a capital Australiana do esporte. Os principais eventos esportivos acontecem aqui e, os principais redutos do esporte estão pertos um do outro.  

História então, nem se fala. Do Cook´s Cottage ao Shrine of Rememberaing, a jovem história australiana e a eternal ligação ao Reino Unido.  

Enfim, é difícil poder escrever tudo deum lugar como Melbourne em um só post.  

Tudo, aliás, foi o que não consegui fazer, como, por exemplo, ir ao Queen Victoria Market. Mas, deixarei algumas fotos e recomendações dos lugares que eu fui.  

Flinders Station  

   

   

   

   

   

   

   

   

   

   

 

   

 

  

 

Histórica estação de Flinders Station. Em frente a Federation Square.

Docklands  

 

 

Docklands conta com modernos edifícios em suas encostas. O visual se torna belo com o Yarra River.

Federation Square  

Federation Square: o ponto de encontro de todos em Melbourne.

Federation Square conta com ares modernos. Tem restaurantes, galerias de arte...

... e com muitos eventos no local, como este, com desfile de moda.

Olympic Park e os complexos esportivos  

   

   

   

   

   

   

   

   

   

 

  

 

Rod Laver Arena - casa do Australian Cup

Reuna seus amigos e va jogar uma partida de tenis no mesmo palco dos melhores do mundo.  

  

Alguma pessoa duvida de que a Australia será a sede da Copa do Mundo de 2018?

Hobbison’s Bay  

Hobbison's Bay. Ao fundo, centro de Melbourne.

O local conta com construções de mais de 150 anos.

 Albert Park  

Um passeio pelo lago de Albert Park

E, também, um passeio pelo circuito que fica aos arredores do parque. Lembrando que no próximo final de semana, a etapa da Fórmula 1 será em Melbourne.  

Obs.: a velocidade, claro, não é a de um carro de corrida.  

  

Eureka  

Apenas uma das vistas para Melbourne, através do Eureka. VALE A PENA!!!

Que tal algo mais… ao vivo? Gravei para vocês:  

  

Você pode experimentar o Eureka Edge... como eu e a primona Gina fizemos. "E aí, tem coragem?"

Southbank à beira do Yarra River  

  

  

 Em Southbank, você pode ter um ótimo jantar tendo, como vista, Melbourne iluminada, além de alguns ‘flames shooting’. Muito legal.  

Neste post estão apenas algumas das muitas coisas que Melbourne tem a oferecer. Aproveite o máximo de cultura, história, opções delazer e bem-estar nesta cidade maravilhosa que é.  

No próximo post: meus últimos dias de Sydney e a breve passagem pra Auckland.  

See ya!!!  

 

 

Publicado por: Renan | março 19, 2010

Depois de tanto tempo…

… já estava na hora de fazer acontecer. COnhecer uma parte da família. Aqui, na Australia.

Todo anos, meu avô e seu primo trocam cartas desejando para toda família um final de ano repleto das mais variáveis mensagens possíveis de se imaginar.

Nem nós, do lado brasileiro, nem eles, do lado australiano, fazíamos idéia de como cada pessoa na família era. Somente os dois primos.

Enfim, acabo caindo em mim, a “responsabilidade” de unir estes dois mundos.

E foi melhor do que o esperado. A família é simplesmente é simplesmente maravilhosa.

José Filipe, primo do meu avô, nascido em Portugal, na Ilha da Madeira.

Izilda, sua esposa, também portuguesa, na Ilha da Madeira.

Roberto. Australiano, filho mais velho, trabalha como programador. Neste momento está quase imobilizado, pois sofreu uma queda espetacular de bicicleta. Tem que ficar ausente do trabalho. Ele é noivo de Christine, que conheci apenas no primeiro dia, mas, já percebi que é uma futura esposa maravilhosa.

Tony. Filho do meio, assim como o irmão, trabalha como programador. É noivo de Allen, que veio das Filipinas quando tinha 3 anos. Super risonha, esbanja sua carisma em qualquer lugar que esteja. Ambos moram em uma casa próxima a estação de Mooney Ponds.

Gina, caçula da família, 27 anos, formada em direito. Foi minha companheira de embarque nos trens de Melbourne. Super atenciosa, simpática e inteligente.

Todos os filhos conseguem entender o português, mas, claro que comigo, preferi praticar o inglês.

O mais legal que, assim como o Nonna, em Sydney, algumas vezes o primo José Felipe mistura o português com o inglês. Era muito comum ouvir pérolas como “Você tem que turn para right” ou “Isto é muito heavy”.

Foram três dias maravilhosos, onde recebi total amor, amizade, carisma, diversão, bem-estar e todas as características possíveis para afirmar que simplesmente MARAVILHOSO. Me mostraram lindas paisagens de Melbourne, fomos a restaurantes, pequenos bares entre becos escondidos, se divertimos no Eureka… fora o sensacional tour que o primão, primona e Roberto me levaram no último dia de Melbourne.

Bem, poder afirmar num post tudo que eles fizeram por mim chega ser desagradável, mas, deixarei sempre meu carinho por eles. Fiquei triste ao dar tchau para cada um deles, não podendo saber quando poderia revê-los novamente. Chega a deixar um vazio.

Agora, cabe a mim leva todo os desejos de bem ao pessoal do Brasil.E, claro, um presentinho especial que não posso contar, mas, lá em casa, vão ter que provar.

MUITO OBRIGADO JOSÉ FELIPE, IZILDA, ROBERTO, TONY, GINA. Allen e Christine, tambem, claro. Não há palavras nem gestos que possam representar minha eterna gratidão por me receber tão bem em Melbourne.

Casa da familia querida. Roberto acenando na porta. Primo e prima mais pertos do carro.

Tony, Gina (de frente) e Allen, observando.

Em Hobsons Bay. Eu, Roberto, primão e primona. Ao fundo, centro de Melbourne.

... e todo mundo reunido em ritmo de festa...

No próximo post, um post completo sobre os meus passos em Melbourne. Tem Eureka, Federation Square, Docklands e muito mais…

See ya!

Publicado por: Renan | março 18, 2010

Getting lost in Melbourne!!!

Depois de dois dias sem poder postar, enfim, estou podendo matar saudades – estive tentando ao máximo, se ‘perder’ em Melbourne e curtir tudo que a segunda maior cidade da Austrália pode oferecer.

De fato, realmente me perdi em Melbourne logo no primeiro dia. Veja, na foto abaixo, eu tentando imaginar algum caminho para s echegar a casa de meus parentes em Attwood. Ao menos tinha um belo por-do-Sol como companhia.

Com este por-do-Sol, "andei, andei, andei..."

Bem, o acesso da internet por aqui vai ser mais complicado: tenho dois dias para ver de tudo (pelo menos quse tudo) aqui em Melbourne.

Prometo que, amanhã, sem falta, as primeiras sobre esta bela cidade, as pessoas e, claro, meus parentes!!!

See ya!!!

Publicado por: Renan | março 14, 2010

Next Stop: MELBOURNE!

Fala galera. Tudo bele no Brasil?

Primeiramente, quero pedir desculpas por passar um dia sem postar nada no blog. Acabei ficando muito ocupado e a diversão do final de semana acabou me deixando um pouco desgastado para escrever – acabei indo a Darling Harbour em um restaurante com a galera do curso. Com muita chuva em Sydney, acabei chegando em casa um pouco cansado e não aguentei.

Aproveitei o domingo para falar com a família, depois, fui para a cidade e, claro, me preparar para o próximo destino: MELBOURNE!!!


Não, não pensem que deixarei vocês sem algo sobre a Harbour Bridge, Sydney Opera House, Sydney Tower, Bondi Beach, Manly Beach e Coogee Beach. Eu ainda voltarei pra Sydney na quinta-feira – ainda tenho muita coisa para falar desta cidade que me acolheu muito bem, mas, BEM MESMO!!!

Nesta segunda, embarcarei para a capital de Victoria para, finalmente, conhecer a família “portuguesa-australiana” que mora por lá.

Jamais duvidei das qualidades de Melbourne, mas,  todo cidadão de Sydney que comentou de Melbourne para mim, acabou dizendo muitsa coisas, como:

“Hey… it’s an amazing city…”

“Jesus man.. it’s so quite… so perfect… completely european one…”

“Ooohh…. I miss that city…”

“Man, I think it’s better than Sydney…”

Bem, com tudo isto, estou ansioso para conhecer a segunda melhor cidade do mundo pra se viver, segundo a revista inglesa Economist.

Na verdade, já estou lamentando os “miseros”3 dias de Melbourne!!!

Mochila nas costas e vamos se perder, como diz o comercial de turismo da cidade (abaixo).

Consegui um blog legal sobre uma brasileira que mora em Melbourne. Quem tiver interesse: http://carolinamartins.wordpress.com/

Na semana, posto sobre Melbourne. E volto sobre Sydney no final de semana, quando retorno para cá.

See ya… nice sunday and… NO WORRIES!!! =P

Older Posts »

Categorias